sábado, 9 de março de 2013

Catete Vb - rua do Catete

Hoje recebi pelo correio o maravilhoso livro "O Azulejo na Arquitetura Civil de Pernambuco - Século XIX", da arquiteta Sylvia Tigre e do o engenheiro português António Cruz, e explêndidas fotografias de Tuca Reinés.

Uma coisa que achei deveras interessante neste livro foram os azulejos da foto abaixo, reproduzida do livro, que se encontram na fachada principal de um casarão palaciano no bairro da Madalena, no Recife.


Além do fato dos azulejos terem sido assentados em diagonal, rotacionados em 45°, prática inédita no século XIX (segundo os autores, caso único em todo o estado de Pernambuco), e que só viria a ser prática comum no interior dos botequins cariocas pela metade do século XX, há a indicação de que estes azulejos, que medem 13,5 x 13,5 cm, embora portugueses, são de influência holandesa.

Faz pouco tempo que vimos o padrão de azulejo holandês que talvez seja o padrão que alguma fábrica portuguesa, não informada no livro, copiou. Ele se encontra neste sobrado na rua do Catete.



    
azulejo portuguêsazulejo holandês

Atualização em 11/3/2013

Jan Pluis me informou que o nome deste padrão nos Países Baixos é "Goudlelie" (Lírio Dourado), e que ele existe em outras combinações de cores. Ele também generosamente enviou a foto abaixo, onde no canto superior esquerdo vemos um exemplar português junto a três exemplares holandeses deste padrão.


Hoje, passeando por uma página de um grupo do site de fotos Flickr chamado Azulejos de Portugal, também encontrei uma foto feita em Lisboa, da qual publico abaixo apenas um detalhe, e que pode ser vista completa aqui.


Achei bem interessante esta variação, que já não é mais apenas uma cópia do padrão holandês, com o acréscimo de mais interesse ao inserir um novo detalhe dentro dos círculos pontilhados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário