quinta-feira, 24 de agosto de 2017

Gamboa IIIc

Nesta postagem vemos uma simpática casa, infelizmente com seu piso térreo adulterado, e perdida em uma área de abandono e favelização crescente.


O azulejo usado na fachada desta casa é bastante incomum no Rio de Janeiro. Se trata do padrão "Frans mozaïek" (Mosaico francês), que teria sido fabricado ao menos desde 1880 até 1920, em Harlingen - Frísia, Utrecht  e Makkum ["De Nederlandse Tegel - Decors en Benamingen", de Jan Pluis, 2013]


A cercadura é do padrão "Kolomhalfje" (Metade de coluna), que quando comecei este blog eu batizei de "Coluna e fita", que teria sido fabricado ao menos desde 1780 até 1930, em Roterdam, Utrecht, Harlingen - Frísia (Tjallingii e Van Hulst) e Makkum ["De Nederlandse Tegel - Decors en Benamingen", de Jan Pluis, 2013]

Para o friso, foi usado o padrão "Plafondblad" (Folha/placa de teto), que é comumente encontrado no Rio de Janeiro neste tipo de uso. Este padrão teria sido produzido de 1850 até 1920 nas cidades de Harlingen (fábrica Van Hulst) e Makkum ["De Nederlandse Tegel - Decors en Benamingen", de Jan Pluis, 2013]. No catálogo do Museu do Azulejo da Holanda, consta ainda que estes azulejos teriam sido produzidos também na cidade de Utrecht.


Por fim, temos aqui uma foto dos belos telhões de faiança pintada portugueses, hoje em dia mais abundantes no Rio de Janeiro do que qualquer cidade portuguesa, e talvez até mais abundantes do que Portugal inteiro.


2 comentários:

  1. O VLT passa bem em frente...quando eu a vi fiquei perplexa com a sua beleza, porém muito triste com a sua adulteração!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim! boa lembrança! O VLT no sentido Rodoviária >> Aeroporto passa por esta e outras casas azulejadas em Santo Cristo e Gamboa, todas já postadas aqui no blog.
      abraços!

      Excluir