sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Central do Brasil IVb - Rua Barão de São Felix

Ontem vimos aqui as fotos do casarão antigo incendiado no Centro do Rio. Caso você não tenha visto ainda este post, acesse este link.


Felizmente, no final do dia, a Defesa Civil informou que não há risco do sobrado desabar, e o Instituto Rio Patrimônio da Humanidade afirmou que o proprietário do imóvel deverá restaurá-lo nos parâmetros originais, respeitando cobertura e fachada. Quanto a esta última parte, não tenho esperanças que isto realmente acontece, e muito menos, de quando algo será feito pelo imóvel, que se continuar abandonado, e agora sem o telhado, em pleno verão, quando temos as mais intensas enchurradas, logo estará em um estado tão deplorável, que a única saída será a demolição, o que é sempe mais lucrativo para o proprietário.

Ainda não tinha sido possível indentificar os azulejos no imóvel, mas hoje, graças às fotos que muito gentilmente o Raul Félix me disponibilizou, fui capaz finalmente de conseguir fazê-lo. Como eu já estava desconfiado, é mais um caso de fachada com azulejos holandeses.

foto: Raul Félix

foto: Raul Félix

foto: Raul Félix (detalhe)

Abaixo vemos uma foto obtida em um catálogo online de azulejos antigos holandeses. Neste site, fiquei sabendo que o nome deste padrão de azulejo é "Muurbloem" em holandês, ou "Wall flower" em inglês, que corresponderia em português (de Portugal, pois não conheço esta flor no Brasil) ao Goivo-amarelo ou Aleli.


Na descrição do padrão é informado que se trata ainda de uma padrão com "vierpas", que em português seria "lóbulo", um elemento arquitetônico decorativo muito comum nos estilos românico e gótico, formado por um segmento de círculo que se multiplica formando um conjunto ornamental. Estes conjuntos podem ser de 3 arcos (Trilóbulo), 4 arcos (Quadrilóbulo ou Quadrifólio), ou podem ser ainda polilobados (ou polilobulados) quando apresentam mais de 4 arcos de círculo. Na maioria dos casos são 4 arcos, formando algo que lembra um trevo.

exemplo de quadrilóbulo em uma janela gótica.
A partir do nome do padrão em holandês, acabei descobrindo uma preciosidade online. Trata-se de um site com grande parte de um livro de modelos que eram usados pelos artesãos na olaria do ceramista holandês Frederik Jacobus Kleijn (1819-1881), de Roterdam, que em 1876 doou tal livro para o arquivo municipal da cidade. Este livro é acompanhado ainda dos moldes perfurados que eram usados pelos pintores para marcar os azulejos brancos antes da pintura.

modelo do azulejo usado no sobrado, no livro de modelos de Fraderik J. Kleijn.

Embora eu não tenha encontrado o azulejo de cercadura em nenhum catálogo, não me parece haver dúvida que sejam também de origem holandesa.

2 comentários:

  1. Tira este tag "DESTRUÍDO" daí! Isola! Vamos torcer para o melhor!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Raul, a construção foi destruída; só sobrou a casca. E se não fizerem nada rápido, com as chuvas de verão que estão para começar, ele irá abaixo.
      Mas CLARO que estou torcendo pelo melhor.
      abraços

      Excluir