sexta-feira, 18 de agosto de 2017

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Saúde XIIIb - rua do Jogo da Bola

postagem original: 07/10/2016

Volto agora a este imóvel no bairro da Saúde, 4 anos após a publicação original aqui no blog [>>] pois hoje, por acaso, "passeando" num site recém descoberto chamado "Reflexos do Porto: Guia do Azulejo na Cidade" [>>] achei o azulejo de padrão usado como friso nesta simpática casa, infelizmente tão adulterada.


terça-feira, 8 de agosto de 2017

Santa Teresa XI - rua Paula Matos


Esta pequena casa em Santa Teresa apresenta um friso composto por azulejos ingleses, e a fachada é revestida por um padrão bastante simples, muito provavelmente do século XX, cuja origem ainda não consegui descorbrir.





O azulejo de padrão usado para formar o friso desta casa pode ser encontrado em um catálogo da fábrica inglesa Alfred Meakin:


Gamboa VIIIb - rua Pedro Ernesto

data da postagem original: 02/07/2017


sexta-feira, 21 de julho de 2017

Centro XLIIIb - rua do Teatro - DESTRUÍDO

Infelizmente, uma tragédia anunciada, que está apenas esperando o acaso dar seu "empurrão" final, aconteceu, mesmo que parcialmente. A fachada da rua do Teatro, que há 4 anos recebeu uma postagem neste blog [>>], sofreu um desabamento parcial.



terça-feira, 18 de julho de 2017

sábado, 15 de julho de 2017

Centro XXVIII - rua Gonçalves Ledo

postagem original: 30/12/2012


Mais uma vez, apresento um post onde tive que deixar de lado meu preconceito. Quando fotografei estes azulejos, o fiz apenas pela "obrigação" do registro, pois eu na verdade não me encantei muito com eles. Me pareciam "azulejos de banheiro", não me pareciam dignos de uma fachada. E ainda por cima me pareciam recentes demais, alguma coisa como segunda metade do séc. XX.

terça-feira, 11 de julho de 2017

Santa Teresa VIII - Centro Cultural Laurinda Santos Lobo

postagem original: 19/10/2014

fonte >>

O Centro Cultural Municipal Laurinda Santos Lobo foi criado em 1979 por sugestão de um grupo de moradores ilustres de Santa Teresa, liderados pelo teatrólogo Paschoal Carlos Magno.

É uma das mais belas casas de Santa Teresa, na Rua Monte Alegre. Ao contrário do que muitos imaginam, a casa não pertenceu à Laurinda, famosa mecenas do Rio no início do século XX. O nome, em homenagem à mecenas Laurinda Santos Lobo, outra ilustre moradora do bairro, foi sugerido pelo prórpio Paschoal Carlos Magno.

Erguido em 1907 pela Baronesa de Perina, o casarão foi construído no local onde existia um imóvel desde 1884. Adquirido depois pelo General Pinheiro Machado e em seguida por Joaquim Pires Ferreira, antigo senador do Império, o palacete sofreu reformas com a instalação de um enorme aquário cercado por estátuas de animais em cerâmica e um palco, onde conjuntos musicais se apresentavam nos dias de festa. Do antigo aquário não restou nenhum vestígio.

O Centro Cultural realiza atualmente exposições e projeções fotográficas, oficinas de dança e música, apresentações teatrais, atividades infantis, recitais e eventos diversos ao ar livre.

(fonte >>) (fonte>>)

segunda-feira, 10 de julho de 2017

Centro XXVIIIc - rua Gonçalves Ledo

Volto a um sobrado na rua Gonçalves Ledo publicado em 2012, pois ontem, seguindo novas pistas, achei que estes azulejos que vemos na foto abaixo pudessem ser belgas. As fotos infelizmente estão bem ruins, pois além de ser já final da tarde, os azulejos estavam abaixo de um toldo, então havia muita sombra encobrindo os azulejos.

 

quinta-feira, 22 de junho de 2017

Comparação de padrões: "Crochê" - Portugal e "Engels Net" - Holanda

Portugal: Diversas variações do padrão "Crochê"
Nesta postagem vemos um dos padrões mais populares de Portugal, o "Crochê", por alguns também chamado de "Rendas", que talvez seja o campeão de variações de estampilha e combinações cromáticas. É difícil encontrar 2 iguais! Este padrão pode ser visto de norte a sul de Portugal.

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Santo Cristo X

Ontem resolvi sair para passear um pouco, aproveitar o domingo friozinho e de muito sol, céu azul, e conhecer o novo trajeto do VLT (bonde moderno implantado no centro do Rio para as olimpíadas), e para minha surpresa, no caminho, passei em frente a duas pequenas construções no bairro de Santo Cristo (por sinal, o novo trajeto da linha 1 do VLT, sentido Rodoviária >> Aeroporto se tornou um verdadeiro circuito de azulejos antigos em Santo Cristo/Gamboa!!). O primeiro imóvel já foi visto aqui [>>].

O segundo foi quase um susto! Finalmente azulejos portugueses na fachada de um imóvel antigo na cidade! Infelizmente, um imóvel quase condenado, de tão destruído! Vamos às imagens do Google Street View enquanto aguardo uma oportunidade para voltar lá com minha câmera.


Centro XLIII - rua do Teatro

data da postagem original: 11/09/2013


Há muito que tenho esta foto acima, obtida em algum outro blog, já havia passado incontáveis vezes pelo "imóvel" (entre aspas, pois só resta a fachada, e mais nada além do vazio por trás), mas NUNCA estava com a máquina fotográfica. E toda vez que ia naquela área de dia, me esquecia de levar a câmera. Hoje já estava na porta, e finalmente... ESPERA! A fachada da rua do Teatro! Voltei, e FINALMENTE estão aqui as fotos.

Santo Cristo VII - rua Santo Cristo

data original de postagem: 23/11/2012


Mais uma vez, recorro às fotos de Raul Félix para um post. Tenho andando muito sem tempo, por conta de várias obrigações, então lanço mão das imagens deste ávido fotógrafo, que em sua página no site Panoramio tem um verdadeiro banco de dados sobre os imóveis antigos do Rio de Janeiro - recomendo a visita!

sexta-feira, 9 de junho de 2017

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Gávea II - Museu da Cidade

Nesta postagem veremos azulejos totalmente fora de contexto - usados como cacos, formando um mosaico "alla" Antoni Gaudí, em um pequeno lago no Museu da Cidade. A postagem se justifica por este padrão, que provavelmente veio de alguma demolição na cidade, não foi ainda encontrado em nenhum imóvel antigo ainda de pé.

Aqui vemos os dois maiores pedaços que encontrei neste laguinho:


terça-feira, 6 de junho de 2017

Comparação de padrões: "Slangster" (HL) / "Estrela e Bicha" (PT)

Comparação de padrões: Slangster / Enkele Slangster / Slangsterren / Slingsterren (HL), Vierster / Vierstereen (HL), Estrela e Bicha (BR/PT), Bicha da Praça (PT), Cobrinha (PT)
Holanda e Portugal

HOLANDA:
Este padrão teria sido produzido em Harlingen, Makkum e Utrecht [1860-1930] ("De nederlandse tegel: decors en benamingen, 1570-1930", Jan Pluis, 2013)
*este padrão consta em um livreto de desenhos de uma manufatura holandesa já em 1680 ("Inventário do Patrimônio Azulejar do Maranhão", Zelinda Machado de Castro Lima, 2012)

foto no Rio de Janeiro - RJ/BR

sábado, 3 de junho de 2017

Comparação de padrões: "Kettingster" (colar e estrela) Holanda e França

Holanda
Segundo o livro "De nederlandse tegel: decors en benamingen, 1570-1930" (2013),
de Jan Pluis, este padrão começou a ser produzido na Holanda pelo menos a partir de
1880, até 1920, pelas fábricas Harlingen, Makumm, e na cidade de Utrech.

quarta-feira, 31 de maio de 2017

Comparação de padrões: "Mecklenburger Mozaïek" (Mosaico de Mecklemburgo)

Segundo o livro "De nederlandse tegel: decors en benamingen, 1570-1930" (2013), de Jan Pluis, este padrão começou a ser produzido na Holanda pelo menos a partir de 1880, até 1910, pela fábrica Harlingen.

fonte: "De nederlandse tegel: decors en benamingen, 1570-1930" (2013), de Jan Pluis

domingo, 28 de maio de 2017

Comparação de padrões: "Gebloemde Zevenster" (Estrela de sete pontas florida)

Segundo o livro "De nederlandse tegel: decors en benamingen, 1570-1930" (2013), de Jan Pluis, este padrão começou a ser produzido na Holanda pelo menos a partir de 1870, até 1900, pela fábrica Harlingen.

Holanda
fonte: "De nederlandse tegel: decors en benamingen,
1570-1930" (2013), de Jan Pluis

sábado, 27 de maio de 2017

Comparação de padrões: "Goudlelie" (Lírio Dourado)

Segundo o livro "De nederlandse tegel: decors en benamingen, 1570-1930" (2013), de Jan Pluis, este padrão começou a ser produzido na Holanda pelo menos a partir de 1860, até 1910, pelas fábricas Harlinger e Makkum, bem como na cidade de Utrecht. Há indicações de que podem ter sido produzidos também pela fábrica Ravesteyn, e na região da Frísia.

Holanda, cortesia coleção Jan Pluis

quinta-feira, 25 de maio de 2017

Lapa XI - rua do Senado

data da postagem original: 17/04/2015


Na postagem anterior (link>>), eu apresentei o primeiro de 2 sobrados geminados na rua do Senado. Para completar a dupla, agora vemos o outro sobrado.

sábado, 20 de maio de 2017

Comparação de padrões: "Plafondblad"

Desta vez iremos comparar variações do padrão que é conhecido na Holanda por "Plafondblad", ou chapa/folha/placa de teto.

No livro "De Nederlandse Tegel - Decors en Benamingen", de Jan Pluis (2013), encontramos a informação de que este padrão teria sido produzido de 1850 até 1920 nas cidades de Harlingen (fábrica Van Hulst) e Makkum. No catálogo do Museu do Azulejo da Holanda, consta ainda que estes azulejos teriam sido produzidos também na cidade de Utrecht.

Acervo do Museu do Azulejo da Holanda

quarta-feira, 17 de maio de 2017

Lapa Xb - rua do Senado

postagem original: 21 de novembro de 2015

Numa postagem anterior (link>>), eu apresentei o primeiro um de dois sobrados geminados na rua do Senado. Abaixo revemos duas fotos em detalhe dos azulejos neste sobrado.




segunda-feira, 15 de maio de 2017

Comparação de padrões: "Degraus", "Cubos" ou "Kubusdecor"

Holanda, 1600-1630
fonte: De Nederlandse tegel: decors en benamingen, 1570-1930, Jan Pluis, 2a ed., 2013

Tijuca VII - Hospital Evangélico

data original da postagem: 25/1/2017


O Hospital Casa Evangélico do Rio de Janeiro teve sua fundação no dia 11 de Outubro de 1887. A Associação do Hospital Casa Evangélico do Rio de Janeiro uniu os primeiros protestantes: Congregacionais, Batistas, Episcopais, Luteranos, Metodistas e Presbiterianos e no dia 11 de Outubro de 1912 foi inaugurado o edifício hospitalar tendo como arquiteto o Comendador Antonio Januzzi.

sábado, 13 de maio de 2017

Comparação de padrões: "Lagarto" ou "Honingraatachtig" (favo de mel)

Postagem comparativa do padrão "Lagarto" (segundo a tese de mestrado "Fachadas azulejadas na margem do Sul do Tejo - Barreiro: 1850-1925", de Isabel Augusta dos Pires, defendida em 2013 na Universidade de Lisboa) ou "Honingraatachtig" (favo de mel).

Há versões portuguesas (transfer print e estampilha), holandesa, belga, inglesa e finalmente, brasileira (bem recente, anos 1960/70; reeditada nos últimos anos face a nova moda de azulejo na decoração).

Portugal, Lisboa