quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Catete IV - rua Bento Lisboa





Os azulejos usados neste prédio simples foram feitos por um processo de impressão industrial, provavelmente transfer print, o que os torna de difícil identificação, pois podem ter sido feitos em qualquer país, pela virada do século XIX para XX. Pode ser inglês, alemão, holandês, belga, francês, português, e até mesmo brasileiro, entre tantas outras possíveis nacionalidades.



------------------------------------------------
Atualização de 10/01/2013 - 12h30

As tecnologias desenvolvidas pela Google podem ser realmente úteis, quando sabemos usá-las. Resolvi colocar uma foto do azulejo de padrão acima, sem muita esperança, para ser pesquisada pelo Google Images, e...

site russo, postagem sobre cerâmica Art Nouveau.
blog de Singapura, de um vendedor de móveis antigos.

Infelizmente em nenhum dos casos há sequer uma indicação de origem do azulejo, mas ao menos me aprece viável agora descartar a hipótese de serem azulejos brasileiros, o que eu já não acreditava muito.

Mais uma ocorrência trazida pelo Google Images:


Esta é em um site holandês, de um negócio de velharias e antiguidades em geral. Na seção de azulejos vemos majoritariamente azulejos holandeses, mas isto não é suficiente para classificar este que estamos vendo. Ao menos já sabemos suas dimensões, que correspondem aos azulejos ingleses e alemães, mas também aos azulejos fabricados em Maastricht, bem como de azulejos produzidos na Bélgica.

E vejam este azulejo belga abaixo, fabricado na indústria Boch Frères, circa 1880:


Ele pode não ser igual ao azulejo em questão, nem mesmo uma variação daquele, mas apresenta muitos elementos similares no design. Ele apresenta 14,8 cm de lado, o que pode, em muitos casos, acabar sendo arredondado para 15 cm.

Mas para complicar um pouco as coisas, vejam o azulejo alemão abaixo:


Percebe-se então que havia uma certa "moda" por este tipo de design nos primeiros anos do século XX.

4 comentários:

  1. Grande Fábio,

    Na minha opinião, este sobrado teve sua fachada original descaracterizada lá pelos anos 80, provavelmente quando foi convertido num prediozinho de três andares, e só depois foram acrescentados os azulejos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Raul,
      Na verdade, o sobrado possui apenas 2 andares.
      Até concordo que a colocação dos azulejos pode ser recente, a forma de aplicação dos azulejos é mesmo estranha, mas isto não quer dizer que os azulejos sejam dos anos 1980. Eu acredito, por conta da técnica de impressão dos mesmos, que estes sejam dos primeiro anos do século XX.

      Excluir
  2. Também me parece que a aplicação de azulejo não foi do início da construção, mas este padrão deve ser antigo (a tua datação é muito provável), e, apesar de me parecer um "dejá vu", não o consigo localizar nos livros que tenho.
    Manel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Manel,
      Obrigado por sua "achega". Acho que o "dejá vu" deve-se ao desenho que de certa forma sintetiza muitos aspectos da azulejaria tradicional, como o padrão em "X", complementos nos 4 cantos que formam um pequeno desenho, vegetalismo, etc.
      Mas caso você se lembre onde já o viu, maravilha! Por favor, me conte.
      abraços

      Excluir