quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Niterói Ic - Solar do Jambeiro

Voltamos hoje nesta postagem ao Solar do Jambeiro, em Niterói, pois finalmente, depois de anos de espera, fui visitar o espaço.


Como o acervo de azulejos e telhões é absurdamente variado (especialmente azulejos), nesta postagem irei me limitar aos telhões. Quem quiser ver uma amostragem inicial do patrimônio azulejar, recomendo visitar as postagens anteriores [ 1 >> ] e [ 1b >> ]

Logo percebe-se uma mistura muito grande de motivos decorativos nos telhões empregados no solar, e fica a dúvida se isto sempre foi assim, ou processo de reposição de telhas ao longo do tempo. O motivo predominante são os pássaros, mas a quantidade de telhas com os vários outros motivos que já vimos nas postagens anteriores de telhões no Rio de Janeiro é tão grande, que o solar poderia ser considerado quase que um "catálogo completo" dos motivos conhecidos de telhões!


Uma das possíveis explicações para a enorme quantidade de motivos diferentes nos telhões seria que em 1894, no auge da Segunda Revolta da Armada (revolta da marinha pelo cumprimento da Constituição de 1891, que obrigava a realização de eleições presidenciais para a escolha do sucessor de Deodoro da Fonseca, presidente que havia renunciado ao cargo em 1891. O cargo havia sido ocupado por Floriano Peixoto, o vice-presidente.), Niterói foi bombardeada pelos navios da armada, obrigando até mesmo a transferência da capital para a cidade de Petrópolis, que só retornou a Niterói em 1903. Conta-se que o solar foi atingido por balas de canhão nesta época, tendo parte do seu interior destruído. E há 3 balas num tanque em uma área anexa, como possível "prova" do ocorrido.


Talvez, se isto for mesmo verdade, o telhado tenha sido severamente danificado, e talvez não tenha sido possível encontrar apenas telhas com os pássaros, e se tenha usado o que estava à disposição na recuperação do beiral. Reparem que há variações até mesmo entre as telhas dos pássaros. A telha bem no meio da foto abaixo, com os cachos de uva, é a única com este motivo em todo o telhado. Eu nunca a encontrei em nenhum imóvel no Rio de Janeiro, porém há também um exemplar deste motivo, e com o mesmo relevo na ponta do telhão, no Museu do Açude.


foto no Museu do Açude, de autoria de Maria Andrade, do excelente blog "Artes, Livros e Velharias". recomendo a visita ao blog como um todo, e a esta postagem em particular sobre o Museu do Açude, para ver ótimas fotos sobre o acervo de telhões de faiança de beiral do museu.

Reparem também que neste solar não usaram as telhas especiais para cantos e curvas de telhado, fazendo-se uma adaptação com as telhas comuns, retas.


mais alguns pormenores da grande variedade dos motivos encontrados nos telhões de faiança do Solar do Jambeiro.



2 comentários:

  1. Espectacular! Nunca imaginei que ainda houvesse casas com estes beirais. Obrigado por partilhar esta maravilha tão bem conservada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Há inúmeros aqui no Rio de Janeiro, mesmo que grande parte tenha sido já demolida. Dá uma olhada neste link:
      http://azulejosantigosrj.blogspot.com.br/search/label/tp%3Atelh%C3%A3o
      abraços!

      Excluir